Passa ano, entra ano, e O diário de Anne Frank sempre figura na lista dos best-sellers.  Publicado originalmente em 1947, a obra se tornou um dos relatos mais impressionantes das atrocidades e horrores cometidos contra os judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

foto-de-casa-de-anne-frank

A casa onde a família Frank viveu em Amsterdã

A força da narrativa de Anne — que mesmo com sua pouca experiência de vida foi capaz de escrever um testemunho de humanidade e tolerância — a tornaria uma das figuras mais conhecidas do século XX.

O diário reconstrói os tensos anos em que a família Frank viveu em Frankfurt, em clima de total antissemitismo, a fuga da Alemanha e a vida no esconderijo, em Amsterdã.

foto-de-cartao-postal-de-anne-frank

Cartão postal comemorativo dos 80 anos de Anne (2009)

A publicação revela mais sobre a jovem que viveu apenas 15 anos,  sua família, o ambiente social em que ela cresceu, sua trajetória antes e depois da fuga e sobre seus últimos setes meses de vida — depois de ter sido traída, capturada pelos nazistas e enviada a um campo de concentração.

Dos oito moradores do esconderijo, só o pai de Anne, Otto, sobreviveu.

Agora, a editora Leya acaba de lançar um livro que mostra o dia a dia do esconderijo e de todos os seus habitantes: Para além do diário de Anne Frank.

foto-do-livro-para-alem-do-diario-de-anne-frank

Por incrível que pareça, pouco se conhece sobre como foi escrito o famoso diário de Anne.

A corajosa e persistente garota resistiu à dura realidade de seus dias de confinamento, escrevendo em folhas soltas, desordenadas, com o que lhe caísse às mãos. E como Anne e os outros clandestinos se alimentavam? Como Anne recebeu os papéis para contar ao mundo sobre o horror da perseguição aos judeus durante a Segunda Guerra?

foto-de-anne-frank-crianca

Anne escreveu não só um diário, mas alguns contos

Este novo livro foi feito com os depoimentos de quem conviveu com Anne Frank, com os documentos da época. Aqui, o cotidiano da jovem é recuperado, sob os nossos olhos, como se estivéssemos vivendo junto e aprendendo, com a coragem e a esperança que ela nos ensina, a acreditar na construção de um mundo melhor.

A obra foi produzida pela Casa Anne Frank, organização não lucrativa que tem como objetivo administrar o Museu Casa de Anne Frank e difundir as mensagens da vida de Anne e seus ideais.

PARA ALÉM DO DIÁRIO DO ANNE FRANK
Páginas: 192
Preço: 34,90

O Museu

Certamente, a casa onde a família Frank viveu e se escondeu em Amsterdã é um dos pontos turísticos mais visitados não só da Holanda, como da Europa. Não é á toa que em qualquer época do ano há filas.

Foi assim comigo, quando fui lá em março de 2010. Na ocasião, eu sabia por alto a história de Anne e de seu famoso diário. Mas mesmo assim, foi comovente conhecer aquele lugar que mesmo após 70 anos ainda carrega não só os momentos tristes como os felizes enfrentados por seus moradores.

Não me esqueço do quarto de Anne, com a parede cheia de rabiscos e fotografias de artistas e figuras da realeza europeia, revelando que apesar de estar trancafiada naquele lugar, a jovem não deixou de lado a capacidade de sonhar.

Sabe a primeira coisa que fiz quando desembarquei no Brasil? Comprei O diário de Anne Frank. Vale à pena ler e conhecer essa história!

POSTADO POR ANA CLARA BRANT
foto-de-casa-anne-frank

Parte interna da casa de Anne Frank