QUE TAL UM PIQUENIQUE NA CASA KUBITSCHEK?

Casa Kubitschek, na Pampulha, proporciona um passeio pelo passado e guarda um pouco da história da Belo Horizonte dos anos 1940 e 1950. Espaço pode ser usado para piquenique!

A Pampulha é um dos grandes feitos de Juscelino Kubitschek quando foi prefeito de Belo Horizonte nos anos 1940. Aliás, é justamente a construção deste conjunto arquitetônico que acaba de se tornar Patrimônio Cultural da Humanidade,  que marcou o início da carreira de um dos maiores arquitetos do mundo: Oscar Niemeyer.

foto-de-jk

Juscelino Kubitschek foi o idealizador da Pampulha (Ana Clara Brant/Divulgação)

Três construções da Pampulha integram esse conjunto que virou patrimônio: a famosa igrejinha de São Francisco, a Casa do Baile e o Museu de Arte da Pampulha (MAP). No entanto, a Casa Kubitschek, que serviu de residência nos fins de semana para JK e data de 1943, não está incluída no pacote deste importante título concedido pela Unesco porque não foi objeto do projeto original de Niemeyer e JK. Ela foi feita depois e com outro conceito. Porém, ela está na área protegida pois é paisagem cultural.

Mas nem por isso, o lugar perde a sua importância e vale muito a pena ser visitado, ainda mais neste ano de 2016 que marca as 4 décadas de morte do presidente Bossa Nova.

foto-dos-fundos-de-casa-kubitschek

Parte dos fundos da Casa Kubitschek (Ana Clara Brant/Divulgação)

Localizada na avenida Otacílio Negrão de Lima,  às margens da Lagoa, o espaço representa um momento importante da constituição do modernismo em Minas Gerais. Com jardins de Burle Marx na entrada e nos fundos, telhado em forma de asa de borboleta e planos inclinados, a Casa passou por um amplo processo de restauração e reconceituação e se transformou em um museu.

foto-de-acervo-casa-kubitschek

Mobiliário dos anos 1940 e 1950 fazem parte do acervo do museu (Ana Clara Brant/Divulgação)

O imóvel foi vendido em 1956 à família de Joubert Guerra, ex-deputado e ex-prefeito de Diamantina, que faleceu em 1977 e era amigo íntimo de JK, seu padrinho de casamento, com quem freqüentou o seminário. Nos últimos 20 anos, a esposa de Joubert Guerra, Juracy Brasiliense Guerra, falecida em outubro de 2004, foi quem morou no local.

 

foto-de-projecao-jk

Projeção em quarto da Casa Kubitschek (Ana Clara Brant/Divulgação_

Por isso, boa parte do acervo do espaço – que faz a gente se sentir como se estivesse na casa da nossa avó – pertence à família Guerra. Apenas um dos quartos guarda móveis e objetos pessoais de Juscelino, mas em toda a casa é possível “sentir a presença” do saudoso político.

PIQUENIQUE

Um dos aspectos mais interessantes da Casa Kubitschek é que ela também se rendeu a um dos modismos mais bacanas de Belo Horizonte: o piquenique. Os jardins nos fundos da casa, entre o prédio principal e a piscina, são o espaço destinado a esses encontros que são gratuitos.

O museu oferece esteiras de palha para ajudar na organização do evento. Mas há algumas recomendações que devem ser seguidas:

foto-de-jardim-da-casa-kubitschek

Jardins de Burle Marx da Casa Kubitschek (Ana Clara Brant/Divulgação)

– O limite máximo permitido é de 15 a 20 pessoas;

–  Não é permitido o uso de bebidas alcoólicas;

– Não são permitidos animais, mesmo que no colo;

– Todo o lixo produzido deverá ser recolhido e acomodado em sacos plásticos para a devida destinação. Deve-se levar os sacos de lixo.

– A fim de garantir um espaço harmonioso entre os participantes do piquenique e os demais visitantes do museu, não é permitido a utilização de caixas de som, equipamentos sonoros ou instrumentos musicais;

foto-de-casa-kubitschek

Parte dos fundos da Casa Kubitschek (Ana Clara Brant/Divulgação)

Para fazer o seu piquenique, basta mandar um email para a administração do museu e marcar a data: ck.fmc@pbh.gov.br

Você reúne os amigos e a família em um espaço que respira história e tem uma arquitetura super charmosa; conhece um lugar que conta um pouco do passado de BH, de Minas e do Brasil, e ainda aproveita (algo raro na Pampulha, já que tudo é muito distante) e vai a pé para um dos pontos turísticos mais importantes da capital mineira, a Igrejinha de São Francisco, que é bem perto dali.

POSTADO POR ANA CLARA BRANT 

Casa Kubitschek ( Avenida Otacílio Negrão de Lima, 4188 – Pampulha
Telefone: 31 3277-1586
E-mail: ck.fmc@pbh.gov.br
Horário de Funcionamento: 3ª a dom. das 9h às 18h
Entrada gratuita

 

« »

© 2018 Prosearte. Theme by Anders Norén.