O Rio de Janeiro tem inúmeras belezas. O Corcovado, o Pão de Açúcar, a Floresta da Tijuca, o Forte de Copacabana… Costumo dizer que não conheço o mundo inteiro, mas pra mim, a Cidade Maravilhosa é a mais linda de todo o planeta. Além das preciosidades de encher os olhos construídas pelas mãos de Deus, há também aquelas nascidas do empenho do sonho humano. Uma delas, o tradicional Copacabana Palace, que eu tive o privilégio de conhecer há alguns anos atrás e – melhor ainda – me hospedei recentemente. Regalias que a profissão de jornalista de vez em quando nos permite.

foto-de-psicina-do-copacabana

O Copacabana Palace foi fundado em 13 de agosto de 1923 (Credito: Ana Clara Brant/Divulgação)

O mais interessante é que eu me hospedei exatamente no dia em que o emblemático hotel completava 94 anos: 13 de agosto. Não há como não se deslumbrar com aquela entrada magistral, o cheiro delicioso exclusivo do ambiente que, inclusive, é comercializado na lojinha do Copa, e principalmente, o tratamento dado aos hóspedes. Isso é inigualável e talvez esteja aí o grande diferencial deste 5 estrelas. Sem contar que a gente se sente realmente num mundo de glamour. Sobretudo ao se deparar com o hall onde tem as fotos dos hóspedes mais ilustres como Nat King Cole, Princesa Diana, Madonna, Mick Jagger, Brigitte Bardot, Tom Jobim, dentre tantos outros.

foto-de-restaurante-cipriani

Restaurante Cipriani, dentro do hotel, tem vista para a lendária piscina (Credito: Ana Clara Brant/Divulgação)

Com 11 mil metros quadrados, o Copa também é conhecido pela realização de badalados eventos sociais como seu famoso Baile de carnaval de Ano novo. Eleito diversas vezes como o melhor hotel da América do Sul pela World Travel Award, o Copacabana Palace foi construído pelo empresário Octávio Guinle e Francisco Castro Silva entre 1919 e 1923. O objetivo inicial do hotel era atender uma solicitação do então presidente Epitácio Pessoa, que desejava um grande hotel de turismo na então capital do país para ajudar a hospedar o grande número de visitantes esperados para a grande Exposição do Centenário da Independência do Brasil. Para a obra foram concedidos incentivos fiscais e uma licença para o funcionamento de um cassino.

foto-de-entrada-de-copacabana-palace

Entrada do Copacabana Palace no Rio (Ana Clara Brant/Divulgação)

Em 1989, a família Guinle vendeu o hotel ao grupo Orient-Express Hotels, que modernizou as antigas instalações do Copacabana Palace sem descaracterizar o prédio. O hotel passou a se chamar Belmond Copacabana Palace. Belmond é o novo nome do braço hoteleiro do Orient Express, escolhido depois de uma pesquisa mundial que mostrou que a grande maioria dos entrevistados associava a marca à sua frota de trens de luxo, e não à linha de hotéis sofisticados, do qual fazem parte, além do Copa, o Cipriani de Veneza e o Ritz de Madri, entre outros.

foto-de-piscina

Lendária piscina do Copa que acabou de ser reformada ( Ana Clara Brant/Divulgação)

Quem assiste a novela das 19h, Pega Pega, e se depara com o fictício Carioca Palace deve ter reparado que há referências ao Copacabana Palace. Qualquer semelhança não é mera coincidência. A produção da trama chegou a visitar o local para poder se inspirar e criar o hotel cenográfico. Boa parte do elenco chegou a fazer o chamado ‘laboratório’. A equipe de reservas chegou a ser surpreendida durante o expediente pelo ator Marcelo Serrado, que interpreta o concierge Malagueta , no folhetim.

foto-de-carioca-palace

Atores globais contracenam no fictício Carioca Palace (Tv Globo/Divulgação)

Para quem um dia pretende se hospedar nessa maravilha carioca se prepare para desembolsar uma boa quantia. As diárias mais baratas estão em torno de R$ 1.200. Sem contar o preço dos serviços como frigobar, restaurantes, salão de beleza. Bem caras. Uma água pode chegar a custar até R$ 36, uma sobremesa, R$ 60. E há pratos de quase R$ 100. Enfim… O Copa é o Copa!

foto-de-ana-clara-no-copacabana

Quem resiste a um selfie na piscina mais famosa do Brasil? (Crédito: Ana Clara Brant/Divulgação)