A ERA DE AQUARIUS

Há um bom tempo uma produção cinematográfica nacional não causava tanto burburinho.

foto-de-sonia-braga

A atriz Sônia Braga vive a jornalista e escritora Clara

Confesso que, nem lembrava a última vez que fui ao cinema assistir a um filme brasileiro, tirando os compromisso profissionais, como as chamadas cabines, quando os filmes são exibidos em uma prévia para a imprensa.

Mas todo esse auê em torno de Aquarius, novo filme do cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho, como os protestos durante o Festival de Cannes, em maio, quando os atores do longa seguraram cartazes dizendo que havia um golpe no Brasil e, mais recentemente, a polêmica em torno da comissão que elegeu o representante do Brasil na disputa pelo Oscar (alguns diretores, incluindo Kleber, foram contrários à indicação do jornalista e crítico Marcos Petrucelli como um dos integrantes), e, claro, as boas críticas do filme despertaram a curiosidade do público.

 

foto-de-atores-aquarius-praia

A praia de Boa Viagem, em Recife, é quase um personagem de Aquarius

Não foi à toa que Aquarius estreou bem nas bilheterias com cerca de 56 mil espectadores já no primeiro fim de semana de exibição, um bom número para uma produção nacional. E em outubro será lançado nos Estados Unidos e Europa.

E realmente vale a pena assistir. Não só pelo belo roteiro, as locações maravilhosa em Recife, a reconstituição fiel da década de 1980 que nos permite uma viagem pelo passado, a trilha espetacular com direito a Taiguara, Roberto Carlos, Gilberto Gil,  Paulinho da Viola e Queen, mas, principalmente, por sua protagonista, o ícone Sônia Braga.

Aquarius é Sônia Braga e Sônia Braga é Aquarius. A atriz paranaense é muito mais do que aquele furacão sexual de clássicos da dramaturgia como Gabriela ou Dona Flor e seus dois maridos.

Sônia, com sua Clara –  jornalista e escritora, que resiste à especulação imobiliária e defende com unhas e dentes suas memórias, convicções e valores – é sim uma estupenda atriz e merecia, na minha modesta opinião, uma indicação ao Oscar.

A única ressalva que faço é que se Aquarius tivesse 20 minutos a menos seria ideal, já que em alguns momentos, a história fica um pouco arrastada.

Deixar de assistir a um filme só porque tal atriz ou diretor tem uma posição política diferente da sua é no mínimo ignorância.

Então, não perca esse belo trabalho e vá ao cinema mais perto de você.

CONFIRA O TRAILER:

CURIOSIDADES

O edifício Aquarius não existe, mas o Oceania, localizado na orla da praia de Boa Viagem, no Recife, é que serviu de inspiração para o prédio retratado no filme de Kleber Mendonça Filho e já virou ponto turístico da capital pernambucana.

POSTADO POR ANA CLARA BRANT
foto-de-edificio-oceania

Edifício Oceania em Recife onde foram gravadas as cenas de Aquarius

 

« »

© 2018 Prosearte. Theme by Anders Norén.